quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O SACRAMENTO DA CEIA DO SENHOR


ESBOÇO DA PALESTRA

MT 26.26-30

Introdução

A palavra “sacramento” não ocorre na Bíblia; vem do latim sacramentum, que na Vulgata, é a tradução do grego mysterium (“mistério”).

“Sacramentum” significava primariamente um depósito financeiro feito em juízo entre as partes litigiantes; posteriormente, passou a significar o que era separado como santo, ou o juramento que os soldados prestavam ao comandante, envolvendo as obrigações correntes desse compromisso.

I.             O Que é um Sacramento?

Um sacramento é uma santa ordenança, instituída por Cristo, na qual, por sinais sensíveis, Cristo e as bênçãos do novo pacto são representados, selados e aplicados aos crentes.
Segundo santo Agostinho, sacramento é "símbolo de coisa sagrada" ou "forma visível de uma graça invisível".

II.            Quais são os Sacramentos do Novo Testamento?

O Breve Catecismo de Westminster em reposta a pergunta 68 diz:
Os sacramentos do Novo Testamento são o Batismo e a Ceia do Senhor.
Para a Igreja Católica existem sete sacramentos, fixados a partir do Concílio de Trento, no meado do século XVI:
Batismo, Crisma, Eucaristia, Confissão, Unção dos enfermos (antiga extrema-unção), Ordenação, Matrimônio.

III.          Instituição da Santa Ceia

Estes elementos faziam parte da Páscoa judaica, cada um tinha um significado especial.

  1.O Cordeiro Pascal: Lembrava a proteção, o livramento dos primogênitos da casa dos filhos de Israel, quando cada família israelita aspergiu o sangue do cordeiro nas ombreiras e na verga da porta. Era uma lembrança e uma comemoração deste maravilhoso livramento (ver Êx 12).

 2. Os Pães Asmos: Lembravam a saída urgente de Israel da terra do Egito. Esses pães asmos também representavam a separação entre os israelitas redimidos e o Egito. Também chamado de «pão de aflição», que representava os sofrimentos dos filhos de Israel (Êx 12.15,34,39, Deut 16.3).  

  3. Água Salgada: Lembrava as lágrimas salgadas derramadas pelos israelitas durante os seus anos de escravidão no Egito.

  4. Ervas Amargas (hb marór): Lembravam as amarguras da escravidão no Egito (Núm 9.11).

 5.  A Sopa de Frutas (hb charoshet): Lembrava a massa de tijolos que os filhos de Israel tinham de preparar na terra do Egito (Êx 5.6-19).

   6. Quatro Cálices (copos) de Vinho: Lembravam as «quatro promessas» de Êxodo 6.6,7. (1. E vos «tirarei» de debaixo da carga dos egípcios; 2. E vos «livrarei» da sua servidão; 3. E vos «resgatarei» com braços estendidos e grandes juízos; 4. E vos «tomarei» por meu povo).

Jesus celebrou a páscoa pela última vez com seus discípulos e Instituiu a Santa Ceia, MT 26.26-28.

A páscoa apontava, ao mesmo tempo, para o passado e para o futuro. Era a comemoração da saída do Egito e a prefiguração do sacrifício do Messias. O cordeiro pascal apontava para Jesus.

Nas palavras do Rev. Alderi Souza de Matos “ A Ceia é o sacramento que comemora e proclama o sacrifício único, perfeito e completo que Cristo fez para nossa redenção”.

IV.          O que é a Ceia do Senhor?

BCW – PERGUNTA 96
Resposta:
A Ceia do Senhor é um sacramento no qual, dando-se e recebendo-se pão e vinho, conforme a instituição de Cristo, se anuncia a sua morte; e aqueles que participam dignamente tornam-se, não de uma maneira corporal e carnal,mas pela fé, participantes do seu corpo e do seu sangue, com todas as suas bênçãos para o seu alimento espiritual e crescimento em graça. 

Na teologia reformada a Ceia do Senhor é um meio de graça, assim como: A Palabra; A igreja; O culto; A oração; Os sacramentos ( Batismo e Ceia ).

V.           Quais são os elementos da Ceia do Senhor?

Há casos em nossos dias em que se utilizavam frutas, carnes, pão e vinho Com base na ceia descrita por Paulo em 1 Co 11.17-34.

Lamentavelmente, o ágape ou festa de amor foi eliminado entre os cristãos, e apenas a “ eucaristia “ ( ação de graças ) ou a “ Ceia do Senhor “, conforme a denominamos nos nossos dias.

Entretanto desde o século IV um concílio eclesiástico pribiu o banquete. 

VI.          A presença de Jesus nos elementos da Ceia


A PRESENÇA DE JESUS NOS ELEMENTOS DA CEIA
Igreja Católica
Realista
Lutero
Realista
Calvino
Espíritual
Zwínglio
        Simbólica

Corporal, nos elementos
(transubstanciação)
Ambrósio de Milão

Corporal, nos elementos
(consubstanciação)

Espiritual, na celebração toda

Apenas simbólica

Calvino não concordou com a interpretação memorial ( Zwínglio ). Nem concordou com o realismo católico ( transubstanciação ) e luterano ( consubstanciação ).

Jesus está presente espiritualmente no pão e no vinho. Esta presença espiritual é tão clara como o pão e o vinho. Por isto, ao participar do pão e do vinho, o crente participa espiritualmente do corpo e do sangue de Jesus. E assim como pão e vinho alimentam o corpo, a presença espiritual de Jesus na Ceia alimenta espiritualmente o participante.

VII.         Que se exige para participar dignamente da Ceia do Senhor?

BCW – PERGUNTA 97
Exige-se daqueles que desejam participar dignamente da Ceia do Senhor que se examinem sobre o seu conhecimento em discernir o corpo do Senhor, sobre a sua fé para se alimentarem dele, sobre o seu arrependimento, amor e nova obediência, para não suceder que, vindo indignamente, comam e bebam para si a condenação.

Exposição resumida de I Co 11.17-34.

Obs. Os amados irmãos e amigos sintam-se a vontade para publicar, usar o material em estudos bíblicos e fazerem as alterações que entenderem ser necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...