domingo, 28 de dezembro de 2014

ESTUDO DO CAPÍTULO I DA CONFISSÃO DE FÉ ESCOCESA – 1560

Ministrado na Igreja Presbiteriana de Tailândia
Taciano Cassimiro
27/12/2014

Tema: De Deus

CAPÍTULO I DA CONFISSÃO DE FÉ ESCOCESA
De Deus

Confessamos e reconhecemos um só Deus, a quem, só, devemos apegar-nos, a quem, só, devemos servir, a quem, só, devemos adorar e em quem, só, devemos depositar nossa confiança. [1] Ele é eterno, infinito, imensurável, incompreensível, onipotente, invisível; [2] um em substância e, contudo, distinto em três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. [3] Cremos e confessamos que por ele todas as coisas que há no céu e na terra, visíveis e invisíveis, foram criadas, são mantidas em seu ser, e são governadas e guiadas pela sua inescrutável providência para o fim que determinaram sua eterna sabedoria, bondade e justiça, e para a manifestação de sua própria glória. [4]

I.                  A quem devemos confessar e reconhecer como Deus?

“ Confessamos e reconhecemos um só Deus...”

Dt 6.4  - Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.

1 Co 8.6 -  todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.

Is 44.5,6 -  Um dirá: Eu sou do SENHOR; outro se chamará do nome de Jacó; o outro ainda escreverá na própria mão: Eu sou do SENHOR, e por sobrenome tomará o nome de Israel.  Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus.

A esse único Deus vivo e verdadeiro devemos:

·         “ apegar-nos “ – Jo 6.55 : Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.

·         “ servir “ – Ef 6.7: Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens. 

·          “ adorar “ – Ex 20.1-6 :   Então, falou Deus todas estas palavras: Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

Jo 4.24 : Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. 

 “ confiar “ – Sl 118.8 : É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem.
                     Sl 118.9 : É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes. 

II.                Quem é Deus?

Paulo depois de falar de Deus, sua soberania e ação na história, diz em Rm – 11.33   Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! 34   Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? 35   Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? 36   Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!

De fato a Bíblia nos mostra a grandeza de Deus, Ele é o Outro, além de nós. Não é fácil descrever quem é Deus, como Ele trabalha. Mais uma coisa podemos dizer Ele sabe trabalhar na vida do seu povo.

A Confissão Escocesa faz uma lista absolutamente bíblica de quem é Deus atentando para seus atributos:

      ·         Eterno - 1 Tm 1.17
      ·         Infinito – 1 Rs 8.27
      ·         Imensurável – 2 Cr 6.18; Sl 139.7-12
      ·         Incompreensível – Gn 17.1-27; 18.1-15
      ·         Onipotente – 1 Tm 6.15; Dn 6.26
      ·         Invisível – 1 Tm 6.16

É importante notar que os teólogos escoceses preocuparam-se em reafirmar o ensino monoteísta das Escrituras Sagradas, a um só Deus, e ao mesmo tempo enfatizar sua triunidade “...um em substância e, contudo, distinto em três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo”.

Mt 28.19  - Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
1 Jo 5.7 -  Pois há três que dão testemunho [no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um.

A Confissão Escocesa segue o fundamento bíblico, histórico e confessional quanto à natureza de Deus, seus atributos e triunidade

O Credo dos Apóstolos documento cristão desenvolvido a partir do primeiro século, mais que somente alcançou sua forma por volta do século VI têm em seu conteúdo o ensino trinitário:

 “Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja Universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém”.

III.             As obras de Deus

Criação, Deus Criador
·         Ele é o criador de todas as coisas – Gn 1.1; Hb 11.3; Cl 1.15-16; Gn 1.1-31
Criou os seres espirituais (anjos); os corpos celestes ( Sol, Lua e Estrelas ); a natureza ( aves, peixes, árvores ); e criou o homem.
    Preserva, Providencia do Criador

          ·         A criação em geral é governada

" Um universo sem decreto seria tão irracional e espantoso como um trem viajando na escuridão da noite, sem farol e sem maquinista, e sem nenhuma certeza de que a qualquer momento poderia precipitar-se no abismo "
A.J. Gordon, apud L. Boettner, The Reformed Doctrine of Presdestination, p.21.

At 17.24-28 -  O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais; de um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação; para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar, bem que não está longe de cada um de nós; pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como alguns dos vossos poetas têm dito: Porque dele também somos geração.


        ·         A providência do Senhor é inescrutável ( não sabemos os seus caminhos )

           Decretos eternos

·         Seus decretos e fim é fundamentado na sua eterna sabedoria, bondade e justiça, para manifestação da sua própria glória.

Pv 16.4 -  O SENHOR fez todas as coisas para determinados fins e até o perverso, para o dia da calamidade.

A Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia afirma que o termo “Decreto” na Teologia indica “aqueles atos da vontade de Deus que:
1)      Representam o seu propósito;
2)      Estavam presentes com ele desde a eternidade passada;
3)      São cumpridos por ele dentro do tempo e do contexto humano;
4)      Determinam o curso da história, coletiva ou individualmente;
5)      Determinam o destino espiritual dos homens e dos anjos.


  
Conclusão

Com trechos das Confissões de Santo Agostinho

CAPÍTULO IV

As perfeições de Deus

 Que és, portanto, ó meu Deus? Que és, repito, senão o Senhor Deus? Ó Deus sumo, excelente, poderosíssimo, onipotentíssimo, misericordiosíssimo e justíssimo.
 Tao oculto e tão presente, formosíssimo e fortíssimo, estável e incompreensível; imutável, mudando todas as coisas; nunca novo e nunca velho; renovador de todas as coisas, conduzindo à ruína os soberbos sem que eles o saibam; sempre agindo e sempre repouso; sempre sustentando, enchendo e protegendo; sempre criando, nutrindo e aperfeiçoando, sempre buscando, ainda que nada te falte.
 Amas sem paixão; tens zelos, e estás tranquilo; te arrependes, e não tens dor; te iras, e continuas calmo; mudas de obra, mas não de resolução; recebes o que encontras, e nunca perdeste nada; não és avaro, e exiges lucro. A ti oferecemos tudo, para que sejas nosso devedor; porém, quem terá algo que não seja teu, pois, pagas dívidas que a ninguém deves, e perdoas dívidas sem que nada percas com isso?
E que é o que até aqui dissemos, meu Deus, minha vida, minha doçura santa, ou que poderá alguém dizer quando fala de ti? Mas ai dos que nada dizem de ti, pois, embora seu muito falar, não passam de mudos charlatães.


Obs. São simples anotações. Sinta-se a vontade para utilizar e fazer as alterações que julgar necessária.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...