quinta-feira, 27 de setembro de 2012

EPISTOLA DE PAULO A FILEMON


Por Taciano Cassimiro
  Esboço
 27/09/2012
Os estudiosos afirmam sem dúvida alguma que Paulo é o autor da carta a Filemon p or volta do ano 61 A., e quando o apóstolo escreveu encontrava-se na prisão em Roma, por isso esta epistola e a de Efésios, Filipenses e Colossenses serem chamadas de cartas da prisão.
Esse foi o primeiro encarceramento de Paulo em Roma por volta do ano 61 A.D. O mesmo durou dois anos. Sabendo que não poderiam obter veredito condenatório, os acusadores de Paulo não compareceram, perdendo a causa por abandono. Como Paulo não havia cometido nenhum  crime flagrante, a lei romana lhe permitiu aguardar seu julgamento em liberdade vigiada, podendo alugar uma casa, mas ficando sob a custódia de um soldado que muitas vezes passava o dia acorrentado a ele.
A carta de Paulo a Filemon é uma das mais belas, cheia de espírito, revelando uma tão afetuosa confiança, que a epístola brilha entre os ricos tesouros do Novo Testamento como pérola de delicada beleza.
Esta carta traz como personagens principais o apóstolo Paulo, Filemon e Onésimo.
Mais quem era Filemon?
Quem era Onésimo?
Qual o problema entre Filemon e Onésimo?

I.                    Quem era Filemon?

1.      Um dos convertidos de Colossos por meio da pregação de Paulo
2.      Sua família: Ápia provavelmente era esposa de Filemon e Arquipo seu filho, ministro na igreja em Laodicéia Cl 4.9-17
3.      Cooperador: ajudador, co-obreiro.
“ Igreja que está em tua casa “, Filemon era um obreiro e em sua casa os cristãos se reuniam e eram fortalecidos por meio de Filemon , V 4-7.
4.      Era proprietário de escravos
5.      Testemunho acerca de Filemon
Paulo tomou conhecimento que Filemon era um homem de fé e amoroso

Significado de fé no texto:
Fidelidade a Cristo e aos irmãos
Confiança no Senhor e em seu amor providencial

Significado de amor no texto:
Amor na forma de ações práticas, especialmente pelos crentes.
 De fato Filemon era servo de Deus, de coração santificado, de atitudes generosas, típicas de alguém que serve ao Senhor.


II.                 Quem era Onésimo?

1.      Era um escravo de Filemon
Estima-se que mais de 30% da população da Roma Antiga eram escravos. As revoltas de escravos, tal como a de fim da década de 70 a.C foram duramente reprimidas. Em latim, o escravo era denominado servus ou ancillus (este último termo era aplicado mais particularmente ao escravo que servia no lar).
Normalmente, as pessoas reduzidas à escravidão ou mantidas nesta condição provinham de povos conquistados, o que se manifestava com frequência em características físicas ou língua diferentes das dos amos.
Os romanos consideravam a escravidão como infame, e um soldado romano preferia suicidar-se antes de cair escravo de um povo bárbaro, ou seja, não romano.
a)       O escravo rural responsável pela atividade agrícola, e vivia em condições penosas. As revoltas aconteciam com frequência, a mais célebre foi a do gladiador Espártaco em 73 a.C.. Espártaco venceu vários exércitos romanos antes ser vencido. A repressão feroz desta revolta serviu de exemplo dissuasório a futuros amotinados.
b)       Os escravos nas minas eram os mais maltratados.
c)       O escravo de cidade era geralmente o mais favorecido. Em alguns casos o escravo era mais próximo do amo e formavam parte aproximadamente da família.
d)       O escravo público (servido publici) pertencia ao Estado (a cidade ou a Roma). Realizava tarefas de interesse geral, e trabalhava para os serviços municipais: limpeza, tarefas da administração.
e)        No mais baixo da escala, os escravos das minas eram os verdadeiramente forçados.

2.      Onésimo era um escravo fugitivo
Provavelmente sua fuga aconteceu antes da conversão de Filemon

Porque Onésimo fugiu?
Provavelmente depois de ter cometido um furto
   3.      Onésimo e o encontro com o evangelho

Em sua fuga Onésimo foi para Roma e lá encontrou o grande apóstolo dos gentios que lhe pregou o evangelho da graça soberana
Convertido, foi fortalecido na fé por meio do ministério de Paulo.

Porém, o problema entre Filemon e Onésimo não estava resolvido. Pela lei romana o furto envolvia a pena capital,  Col 3.11.

III.               O Comovente apelo de Paulo a Filemon

De fato a carta de Paulo a Filemon é um apelo pessoal:

1.      Paulo pede a Filemon que perdoe Onésimo o escravo fugitivo, que foi gerado enquanto Paulo estava em prisão.
Receba como irmão V.16
Acolher como se estivesse acolhendo o próprio Paulo “ a mim “

2.      Paulo se oferece a pagar Filemon restituindo o mesmo, V 17-19
3.      Paulo tinha certeza que Filemon atenderia seu pedido, V.21

APLICAÇÃO

      1.      Manifestação da graça de Deus na vida de um escravo, ´perdido;
      2.      Preocupação de Paulo em estabelecer a comunhão entre dois homens de posição social diferentes, porém, iguais diante de Deus ( a importância de acertar nossas pendências );
      3.    O evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo é excelente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...